• Júllian Pegoraro

Como fica o Botox a longo prazo?



Um dos maiores receios dos pacientes é relacionado aos efeitos a longo prazo, especialmente em quem começa cedo a fazer tratamentos de Harmonização.


Há pessoas que acham que a dose da toxina vai precisar aumentar cada vez mais, há pessoas que acham que o procedimento vicia, há pessoas que acham que se o paciente começa cedo, não terá outras opções do que fazer no futuro... Incontáveis incertezas.


Entretanto, se utilizada em um tratamento sério e consistente, com planejamento a longo prazo, a toxina botulínica só melhora com o passar do tempo.


A função da toxina botulínica é promover um relaxamento temporário. Na fisiologia, sempre que um músculo não é utilizado por um período longo, ele altera sua anatomia.


Pense em um treino de academia: quando exercitamos um músculo, ele aumenta e fica mais forte. Se deixarmos de exercitá-lo, ele diminuirá e ficará mais fraco.

No rosto, os músculos são muito menores e essas alterações não são tão visíveis, mas a fisiologia é a mesma. Utilizando toxina botulínica, deixamos de "exercitar" músculos faciais por até 6 meses.


Músculos fortes precisarão de doses de toxina mais potentes e mais frequentes. Músculos fracos precisarão de doses menos potentes e menos frequentes.


Assim, com um bom planejamento baseado no conhecimento de fisiologia do profissional, não apenas olhando para rugas do rosto, e se o paciente seguir o que for recomendado para ele, é possível obter resultados mais interessantes a longo prazo, com doses de toxina cada vez menores ou menos frequentes.


(CD Júllian Pegoraro - CRO/RS 22427)