• Júllian Pegoraro

Dor Orofacial



Sentir dor no rosto pode se tornar algo insuportável com muita facilidade. Mas você não precisa conviver com essa dor, pois é possível tratá-la.

O primeiro passo para qualquer tratamento, incluindo para dor orofacial, é diagnosticar a origem do problema. Sem a certeza do que está acontecendo, é muito difícil realizar um tratamento efetivo.


São inúmeras as causas que podem gerar dor orofacial, como por exemplo disfunções da ATM (articulação da mandíbula), má oclusão (encaixe dentário), contraturas musculares, nevralgias, e até mesmo cárie, entre outras causas.


Quem sente essas dores sabe que muitas vezes medicações podem não ser suficientes para resolver a dor. É muito frequente que intervenções clínicas precisem ser realizadas para ajudar os pacientes, como as placas oclusais e a ortodontia, por exemplo.


O trabalho multidisciplinar faz com que os tratamentos sejam ainda melhores. A fisioterapia e a psicologia são áreas que otimizam muito os resultados. Outras vezes, é necessário ampliar ainda mais o escopo profissional, trabalhando em conjunto com especialidades médicas como neurologia, reumatologia, psiquiatria, otorrinolaringologia, endocrinologia...


Independente do que você tenha lido ou ouvido falar, as dores orofaciais precisam ser diagnosticadas e tratadas, pois a maioria dos problemas se agrava com o passar do tempo. Isso significa que quanto mais você demorar para tratar, mais complexo ficará seu tratamento.


E quando você for iniciar seu tratamento, lembre-se de que todas as dores orofaciais precisam de diagnóstico feito por um dentista. Sem verificar se a causa é de origem odontológica, o diagnóstico fica incompleto.


(CD Júllian Pegoraro - CRO/RS 22427)